Logo Vaxxinova
  • Faça o login preenchendo os campos abaixo.

    Fechar
  • Cadastre-se e tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos!

    Register New Account

    Fechar
Logo Vaxxinova

De cara nova, com a mesma fórmula de sucesso no controle da Coccidiose Aviária.

A Vaxxon Coccivet R é uma vacina viva atenuada, que oferece proteção rápida e completa com sete Eimerias de importância para aves de ciclo longo.

Coccidiose aviária

A coccidiose aviária é uma doença localizada no intestino das aves que é causada por protozoários do gênero Eimeria, pertencente ao filo Apicomplexa. Alguns protozoários que compõem esse gênero parasitam aves domésticas, causando diarreia e enterite, resultando em uma diminuição da absorção de nutrientes.

Primeiros casos

Os primeiros a descreverem a presença de um parasita tetrapolicístico em aves foram Rivolta & Silvestrini, em 1873, que denominaram genericamente de Eimeria avium. Essa doença representa uma das doenças infecciosas de maior importância econômica na avicultura industrial e preocupa pelo fato de ocasionar muitas perdas econômicas na indústria avícola. Em um trabalho realizado por Blake et al (2020) foi estimado que o custo anual global associado à coccidiose representa mais de 14 bilhões de dólares, incluindo a prevenção, tratamento e perdas produtivas associadas a ela.

Os parasitas do gênero Eimeria que infectam aves são hospedeiro-específicos (Ruff, 1999), ou seja, infectam apenas uma espécie de hospedeiro. Contudo, várias espécies podem infectar um mesmo hospedeiro. A primeira espécie de Eimeria de galinha doméstica descrita foi a E. tenella, com o nome de Coccidium tenellum, por Railliet e Lucet, em 1891. De acordo com Levine (1982) o nome foi corrigido para E. tenella por Fantham, em 1909.

Hoje em dia, a maioria dos autores aceita a existência de sete diferentes espécies de Eimeria patogênicas em galinha: E. acervulina, E. praecox, E. maxima, E. necatrix, E. mitis, E. tenella e E. brunetti. Em 2021, num estudo realizado por Blake, D.P. et al, os autores sugeriram a existência de mais 3 espécies distintas, OTU-X, OTU-Y e OTU-Z, identificadas na Austrália e, aparentemente, menos expressiva em grau de importância.

Contágio da coccidiose

Esse parasita (Eimeria) é localizado mundialmente, sendo raro encontrar um lote de aves que não esteja infectado por, no mínimo, uma das sete espécies de Eimeria que parasitam a galinha doméstica. Fatores específicos das criações comerciais, como alta densidade de aves e contato com fezes, são importantes para a manutenção da coccidiose. Fatores ambientais, como excesso de umidade, também aumentam o problema.

Apesar da ampla distribuição, a coccidiose clínica com mortalidade elevada não é, atualmente, comum na avicultura industrial. O mais encontrado, normalmente, é a coccidiose subclínica, com uma a sete espécies de Eimerias causando redução no ganho de peso, desuniformização das aves e comprometimento na produção de ovos e carne.

Prevenção

O controle e prevenção da coccidiose aviária passa principalmente pelo uso de uma das duas ferramentas mais comuns disponíveis: os fármacos anticoccidianos e as vacinas contra coccidiose. No Brasil, de maneira expressiva, as aves de ciclo longo – matrizes reprodutoras e aves de postura comercial – utilizam as vacinas para prevenir a doença por uma série de vantagens:

  • Dose única e de fácil aplicação;
  • Induz resposta imune nos primeiros dias após a aplicação;
  • Efetividade sem problema de resistência no campo;
  • Não interfere com a resposta imune de outras vacinas;
  • Lotes mais sadios e uniformes;
  • Revitaliza a sensibilidade das eimérias às drogas.
  • Elimina os anticoccidianos da fábrica de ração.

Tratamento preventivo

Visando a prevenção dos prejuízos causados pela coccidiose aviária a Vaxxon Coccivet R, do Laboratório Vaxxinova, é a pioneira no mercado desde 2005. A Vaxxon Coccivet R é líder de mercado e tem reconhecimento sobre sua imunogenicidade, sendo a primeira vacina contra coccidiose aviária produzida em território nacional. Ela é exclusivamente produzida com cepas brasileiras de elevado poder imunológico, ampla antigenicidade e em conformidade com o conceito de rastreabilidade, indispensável para a produção de proteína animal destinada ao consumo humano.

Para alcançar a composição final da Vaxxon Coccivet R. foram precisos três anos de intensa pesquisa. O desenvolvimento da vacina incluiu a coleta de amostras de fezes de lotes de aves com múltiplas idades, em granjas localizadas nos principais Estados do Brasil, escolhidas pela grande produção avícola delas. As cepas constituintes da vacina foram selecionadas no processo de acordo com sua rápida ação protetora, capacidade imunogênica e amplo espectro de proteção frente aos outros isolados. Esse trabalho foi realizado individualmente para cada espécie, sendo selecionadas sete espécies de Eimerias aviárias que compõem o produto: E. acervulina, E. praecox, E. maxima (2 cepas), E. necatrix, E. mitis, E. tenella e E. brunetti.

A formulação estéril, além do diluente empregado, assegura que a Vaxxon Coccivet R possa ser associada às vacinas virais vivas, muito utilizadas na primeira semana de vida.

 

De cara nova,

Com a mesma fórmula de sucesso

No controle da Coccidiose Aviária